Competitividade e Gerenciamento Metrológico – Parte IV

,

O produto é o software entregue ao cliente. Já o treinamento do cliente está diretamente relacionado ao grau de absorção das informações passadas, e a sua utilização inicial com o auxílio do suporte técnico. Por fim, a forma de uso refere-se ao momento em que o cliente o utiliza nos anos subsequentes.
Johnston (2002, p. 121) acredita que o cliente é a entrada para muitas operações de serviços; por isso, saber como gerenciá-lo e entender o que ele espera torna-se um aspecto-chave. Embora a necessidade de satisfazer os clientes seja algo que “nem precisa ser dito”, isso é, precisamente, o problema de muitas organizações. Suposições são feitas sobre o que os clientes realmente desejam e, mesmo que tenham sido consultados, isso pode ter sido há tanto tempo que tal informação torna-se irrelevante ou perigosa de considerar. Rever todos as necessidades novamente, se faz necessário para um bom andamento. Também há o aspecto em que o cliente pode desejar muito além do que realmente é necessário, chegar ao ponto certo entre desejo e necessidade é um desafio.

As empresas de serviços profissionais, em particular, sofrem com frequência da ideia de que seus técnicos sabem muito por serem especialistas. Isso pode ser verdadeiro, mas também pode criar “pontos cegos” durante uma implantação.

Competitividade e Gerenciamento Metrológico – Parte III

,

Como anteriormente citado, um software poderá auxiliar e muito na busca de uma boa gestão do laboratório, consequentemente este poderá se tornar mais competitivo, porém se faz necessário uma boa avaliação.

Além dos critérios de avaliação de um produto, é necessário também verificar se o produto em avaliação está de acordo com as ISO/IEC 17.025, pois esta norma é o principal requisito para a qualidade do serviço de calibração. A norma estabelece critérios para os laboratórios comprovarem sua competência técnica, demonstrando que possuem um sistema de qualidade efetivo que produzem resultados tecnicamente válidos (VALE, 2001). O software, que é o produto a ser avaliado, tem como objetivo gerenciar todos os itens que possam afetar a qualidade da prestação de serviços do laboratório, bem como seguir a 17.025.

Ainda referente à avaliação de um produto, que neste caso é o software, também devem ser analisados os requisitos conforme a NBR ISO/IEC 9126-1:2003 onde pode-se avaliar as características de qualidade do sistema. Na Figura 2, podem-se visualizar as características da qualidade do software conforme a ISO 9126-1.

Figura 1 – Modelo de qualidade para qualidade externa e interna

Fechando a questão de avaliação do produto, Deming (1990) coloca que, para medir a esta qualidade, é necessária uma total integração do triângulo de interação composto por produto, treinamento do cliente e forma de uso do produto. O triângulo de interação, chamado de “três vértices da qualidade”, pode ser observado na Figura 2.

Figura 2 – Os três vértices da qualidade

 

Competitividade e Gerenciamento Metrológico – Parte II

,

A qualidade do produto e do serviço não basta para uma empresa manter-se competitiva no mercado, ela deve ter um bom relacionamento com seus clientes, isto trará para a empresa benefícios futuros, como fidelização e aumento de lucratividade. Segundo Kotler (2000, p.49), o marketing de relacionamento é “deixar de se concentrar em transações para se preocupar com a construção de relacionamentos lucrativos de longo prazo com os clientes. As empresas concentram-se em seus clientes, produtos e canais mais lucrativos”.

Nessa perspectiva, com a possível proposta de melhoria do relacionamento dos clientes Cali com seus clientes e, assim, podendo melhorar a fidelização e consequentemente o faturamento do cliente. Pensando nisso, a Cali desenvolveu e vem melhorando ainda mais o sistema Cali WEB – software de gerenciamento metrológico e visualização eletrônica de Certificados de Calibração.

Competitividade e Gerenciamento Metrológico – Parte I

,

Devido à crescente globalização mundial, percebe-se uma diminuição de fronteiras, tornando assim um mercado cada vez mais competitivo. A competitividade está diretamente relacionada à tecnologia, ao preço adequado, à qualidade de seus produtos e serviços ofertados. Atender às expectativas dos clientes está se tornando cada vez mais desafiador, ainda mais em um ambiente em constante mudança. Portanto, a inovação e o atendimento diferenciado tornam-se cada vez mais necessário para que uma empresa se mantenha no caminho do sucesso. Segundo Bautzer (2009), percebe-se claramente que, no dia-a-dia das empresas, a agilidade em criar inovações de produtos e serviços tem sido um dos principais fatores de competitividade entre empresas e nações, um divisor entre perdedores e vencedores.

A busca da qualidade pela indústria e prestadores de serviço cresce a cada ano e é uma forma de melhorar seu negócio e padronizá-lo. Implantar um sistema de qualidade necessita seguir uma série de normas conforme exigências da ISO, e uma destas normas é a ISO/IEC 17.025. E é aqui que entram os produtos da Cali, pois estes ajudam sua empresa a manter-se dentro destas normas.

Conheça o sistema Cali LAB – Software de automação e gerenciamento metrológico de prestadores de serviço e indústria e descubra como ele poderá ajudar a sua empresa a atender os requisitos da 17.025.